Gestores de RPPS são multados por investimentos em fundos com idoneidade duvidosa

access_time 6 anos atrás

Auditoria Interessado principal:Instituto Municipal de Previdência Social dos Servidores de Tangará da Serra LUIZ HENRIQUE LIMACONSELHEIRO SUBSTITUTO RELATOR DETALHES DO PROCESSO INTEIRO TEOR VOTO ASSISTA AO JULGAMENTO Irregularidades na gestão atual do Instituto Municipal de Previdência Social dos Servidores de Tangará da Serra – Serraprev, com relação a investimentos, foram constatadas em auditoria de conformidade do Tribunal de Contas de Mato Grosso. O relator do processo nº 94170/2017, conselheiro substituto Luiz Henrique Lima, deu conhecimento à auditoria, com aplicação de multas, determinações e recomendações aos atuais gestores. A auditoria de conformidade analisou os atos de gestão decorrentes dos atuais investimentos do Serraprev, sob a responsabilidade de Maria Dalva Specian Chaves – ex-diretora executiva (17/05/2011 a 31/07/2013), Heliton Luiz de Oliveira – diretor executivo, e Fábio Martins Junqueira – prefeito de Tangará da Serra. Entre as falhas, pode-se citar a ausência de credenciamento do gestor e do respectivo administrador do Serraprev selecionado para a aplicação dos recursos previdenciários, em desobediência à legislação. Outra falha foi a aplicação de recursos previdenciários em fundo de investimento com alta concentração de ativos de crédito privado em um único emissor e também notícias negativas acerca da idoneidade dos executivos responsáveis pelo principal emissor dos ativos do Fundo. Os dois gestores foram multados: Maria Dalva Specian Chaves e Heliton Luiz de Oliveira. Foi determinado ao Serraprev que disponibilize no Portal da Transparência, no prazo de 30 dias, todas a

content_copyClassificado como