Sinop começa a preparar plano de gestão para os próximos 20 anos

access_time 6 anos atrás

O planejamento estratégico de Sinop construído pelos gestores em 2013, com apoio do Tribunal de Contas, por meio do Programa de Desenvolvimento Institucional Integrado (PDI), e que transformou o município em "case de sucesso" em razão dos resultados alcançados, está sendo revisitado. Com apoio da empresa de consultoria contratada pelo TCE, os atuais gestores devem definir o plano de gestão para os próximos 20 anos. A primeira reunião entre membros do Executivo, a consultora responsável, Maria Ângela Barone Lemes, e a coordenadora do PDI, Naíse Silva Freire, ocorreu no início da tarde de segunda-feira (27.03), na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do município. De acordo com a consultora, especialista em planejamento estratégico, é preciso revisitar todo o planejamento anterior e decidir o que vai permanecer e o que será excluído, além de redefinir prioridades, em razão, principalmente, da mudança de gestor. Depois porque após quatro anos, objetivos, indicadores e metas também mudam. "Nós precisamos pegar o plano anterior e trabalhar as forças e as fraquezas, com a visão de futuro". Após essa reanálise, os gestores receberão capacitações, sobre missão, valores e visão do planejamento estratégico. A prefeita Rosana Martinelli participou da reunião e ressaltou a importância da reciclagem para aqueles servidores que faziam parte da gestão passada e já conhecem o programa. A prefeita destacou as adequações necessárias em razão da crise, como a de otimizar os recursos públicos, que diminuíram com a redução dos repasses do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) e outros impostos. Em tempos difíceis, a gestora reforçou o papel fundamental desempenhado pelo planejamento estratégico para a administração e agradeceu a ajuda do Tribunal de Contas, que investe nos municípios com a finalidade de melhorar a qualidade das políticas públicas. Coordenadora do PDI, a secretária-executiva da Secretaria de Apoio às Unidades Institucionais (SAUG) do TCE, Naíse Silva Freire, disse que, apesar dos bons resultados, a avaliação feita ano passado encontrou algumas dificuldades no município, entre elas a falta de envolvimento de algumas secretarias com o programa. E para que o PDI obtenha êxito, é fundamental o empenho de todos, do prefeito aos secretários e servidores. "O Tribunal de Contas investe recursos públicos nos 24 municípios adesos ao PDI, mas eles precisam apresentar resultados, que é a melhoria do serviço prestado ao cidadão". Naíse reforçou também que o planejamento estratégico é importante, mas apenas um dos cinco projetos previstos no PDI e que os outros quatro, que abordam controle social, educação permanente, geo-obras e modernização institucional, precisam ser impulsionados no município. A coordenadora esclareceu que, ano passado, o PDI tinha 39 municípios ade

content_copyClassificado como