Comissão da Atricon verifica parâmetros para atestar a qualidade e a agilidade do TCE Ceará

access_time 6 anos atrás

Confirmar as evidências informadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Ceará à Associação dos Membros da Cortes Brasileiras, com a garantia da qualidade e agilidade. Este foi o objetivo da visita técnica ao TCE, realizada pela comitiva da Atricon, nos dias 21 e 22 de agosto.

Integrada pelo conselheiro Sebastião Ranna (TCE-ES), conselheiro substituto Pedro Aurélio (TCE-AP) e pelos técnicos Roberto Tenório (TCE-BA) e Rômulo Lins (TCE-PE), a comitiva foi recebida presidente da Corte, Edilberto Pontes, juntamente com a conselheira Soraia Victor, que integra a Diretoria Administrativa da Atricon. Também presente o assessor de Planejamento e Gestão da Corte, Glinton Ferreira, membro da Comissão no TCE Ceará.

Para a equipe do TCE a impressão do trabalho de garantia de qualidade foi a a melhor possível e tende a melhorar, cada vez mais, as atividades na Corte. “Esse trabalho é muito relevante para o Tribunal. O que nós podemos, com isso, é observar aquilo que temos condições de implementar, o que pode ter melhorias, onde estamos mais frágeis e o que temos de mais forte. Tudo isso é importante institucionalmente para alcançarmos uma maturidade e uma qualidade maior em nossos trabalhos”, destacou Glinton Ferreira.

Além dele, compõem a Comissão de Autoavaliação do TCE Ceará os servidores João Gabriel Laprovitera (consultor técnico), Wesmey da Silva (controlador) e Eugênio de Castro e Silva (secretário adjunto de Controle Externo).

Em outubro de 2015, o Tribunal de Contas do Ceará recebeu a Declaração da Garantia de Qualidade. O certificado destacou que a aplicação do Marco de Medição de Desempenho dos Tribunais de Contas foi aderente aos parâmetros adotados pela Atricon e que os indicadores espelham a real situação do TCE Ceará.

A ação faz parte do programa Marco de Medição do Desempenho dos Tribunais de Contas, desenvolvido pelo Atricon a fim de estimular as Cortes às boas práticas, reconhecidas até mesmo por órgãos internacionais como o BID e o BIRD. Essa é a terceira avaliação realizada pela Atricon.

content_copyClassificado como